segunda-feira, 6 de junho de 2011

Gentileza


As gotas vão continuar caindo. E nunca param. Quando a chuva chega, elas se intensificam e apenas deixam de ser invisíveis. Escorrem e derramam-se aos borbotões; e ainda sim não transbordam o solo raso. O radiante esplendor da luminosidade não se apaga, ganha significado. Uma gota versus o raio. É pura beleza. E toda a beleza desse mundo não preenche o solo raso. Mas sua gentileza preenche, sim; o mundo raso.

2 comentários:

  1. Boas!

    Adoro este blogue!

    Podes adicionar o meu aos teus links sff?

    http://davidjosepereira.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Pois é minha querida amiga Teresa Almeida, pura poesia, só mesmo você! Até uma gota de suor caindo da ponta do nariz do jogador de futebol, preenche de gentileza o mundo raso...pura beleza, pura poesia.

    forte abraço do leitor,

    c@urosa

    ResponderExcluir